Portas Fechadas=Paragem de Atividade?

O título é susceptível de várias interpretações. Numa altura em que vários setores de atividade tiveram de fechar portas, o que fazer? Layoff não é a única solução!!

Desde logo, como motivar uma Equipa e como transmitir os pilares da empresa e seus valores? A motivação de equipas é fundamental nesta fase, bem como a solidificação de valores de identidade de uma marca. Isto a todos os níveis. O Plano Estratégico e Planeamento terá de ser bem definido e aplicado em toda a organização, em cada nível especificamente.

Por outro lado, a Resilência, Profiteabilidade, bem como Sustentalidade terão de ser 3 palavras de Ordem, mesmo em termos de incerteza como estes que vivemos. Já passamos a fase de reivenção, para a fase de ação, com todos os meios disponíveis. Pense no seu negócio, nos seus Clientes e como a sua Marca poderá chegar até eles e colmatar e superar as suas necessidades e espectativas.

A equipa Comercial, tem um papel vital nesta fase de transformação, em ariculação com a equipa de Marketing constituída. É tempo de olhar para dentro, focar-nos em CRM e acompanhar as necessidades dos Clientes. É tempo de transmitir uma solução adequada para as necessidades do Cliente. Isto em nada interfere com uma porta de estabelecimento fechada.

É tempo de rever parcerias, rever contratos estabelecidos e aproveitar sinergias entre parceiros. A indefinição por exemplo de políticas de frotas de várias empresas, levará à cessão de contratos de locadoras e incrementará o mercado renting num curto espaço de tempo. É disto que o Renting sobrevive? Não, é do turismo e outras áreas. Mas a oportunidade momentanea de empresas de Renting junto de empresas com frotas, poderá ser aproveitada. O setor automóvel foi um dos mais afetados em 2020 e 2021 não começa com bons números.

A Restauração, um dos setores mais afetado… Já pensou em porque não tem uma base de reserva para resistir a estes tempos de pandemia? Que estratégia tem implementado ao longo do tempo, bem como Controle de Custos e Proveitos?

A Digitalização é um must nos tempos de hoje, mas não é a solução integral para as dificuldades económicas que passamos. Uma boa estratégia digital é eficaz, mas não passa apenas por colocar Ads em Social Media, cruzar braços e esperar retorno. Porque o Marketing Digital é uma das ferramentas que tem à sua disposição mas não é a solução-chave para enfrentar esta Crise. Estratégia, Planeamento e conhecimento profundo do seu negócio e Clientes, ditarão a sustentabilidade do seu negócio, da sua marca. Tudo num plano integrado: Resilência, Profit e Sustentalidade são as 3 palavras de ordem!

Rita Araújo

Confinamento/Indústria Hoteleira: Serão duas variáveis inversamente Proporcionais?

Face a Fronteiras fechadas, a circulação entre concelhos fechada, como se poderá este tão importante setor do Turismo Português se reinventar? Quando pensamos na Indústria Hoteleira, a nossa mente foca-se apenas em alojamento. Mas a indústria Hoteleira promove e atua em diversos mercados. Hotelaria, Restauração e Eventos (resumidamente).

Já parou para pensar, quanto o seu negócio representa na atividade dos seus Fornecedores? Um bom ponto de partida é criar sinergias e soluções que vão de encontro ao interesse de ambos.

Os seus Colaboradores, que de si dependem? Já realizou alguma sessão de brainstorming? O feedback e ideias inovadoras de quem trabalha dia-a-dia junto dos Clientes, poderá ajudá-lo!

Já pensou nas necessidades do seu Concelho e como pode ir de encontro às mesmas? A Hotelaria não se resume a outras regiões e experiências. Neste momento, poderá ser um apoio vital para diversas necessidades.

A restauração assume aqui também um papel imporatnte. Ninguém conhece os seus Cliente melhor do que o próprio negócio. Refeições em delivery, takeaway podem ser uma solução, aproveitando toda a qualidade da sua cozinha e preferência dos seus Clientes.

Os Eventos passaram a realizar-se através de plataformas digitais. Já acompanha esse desenvolvimento? O seu negócio acompanha a transformação digital?

Muitas são as questões que deixo no ar. Para que este setor, tão importante para a Economia Portuguesa se desmultiplique. Para que este setor acompanhe as mudanças e para que esteja realmente preparado para o futuro. Muito deste tempo poderá ser rentabilizado em análises estratégicas, indíces de popularidade e rentabilização. Muitas mais-valias poderão agora ser implementadas!! Sentimos isso no nosso dia-a-dia e como contribuímos para a Inovação, Estratégia e Planeamento neste setor!!!

Rita Araújo

Palavras de Ordem: Resilência, Rentabilidade e Sustentabilidade

Em tempos tão conturbados como os que vivemos, com incerteza num futuro próximo, estas 3 palavras resumem a Estratégia do seu Negócio. Mas serão assim tão simples?

Resilência não significa continuar por um caminho que não tem meios para atingir o fim. Resilência significa no âmbito geral do seu negócio, que novos caminhos, oprtunidades e até desafios poderá alcançar. Trata-se de conhecer o seu Cliente e Potencial Cliente. Construir novos caminhos e pontes para chegar até eles. pensar “outbox”. Que serviços/produtos poderei entregar aos meus Clientes, dentro da área onde desenvolvo o meu negócio? Temos o exemplo de empresas de Eventos, que tentam através da experiência do Consumidor alavancar novos negócios com sucesso!

Rentabilidade, significa estudar novos meios de chegar ao Consumidor mas de forma a que os seus recursos se adaptem. O caso mais fulminante é o dos Restaurantes, onde temos recebido feedback. Apostaram no Delivery mas não contabilizaram os custos das Plataformas, que chegam a se exorbitantes. Não contabilizaram o custo das embalagens em delivery. E principalmente, no global, não ajustaram os racios de food cost a esta nova realidade. Fechar portas é solução, ou resilência e rentabilidade são a palavra-chave?

Sustentabilidade, significa que as mudanças que perconizar agora no seu negócio, irão ter rentabilidade e resilência futuros. Muitos dos empresários que contato, dizem-me que por agora sim, mas no futuro não poderemos manter estas condições… O seu projeto, o seu negócio terão de garantir uma sustentabilidade necessária nestes tempos ambíguos, de incerteza e também inovação.

Seja qual for o seu ramo, o seu negócio, não feche portas. Adapte-se às novas circustâncias, procurando se necessário parceiros que alavanquem a sua ideia, profissionais que o ajudem, mas não cruze braços. Segredo? Todos os temos, mas quem melhor para conhecer os seus Clientes do que a sua empresa ou negócio?

Rita Araújo

Novas Alterações, Novas Regras….

Face ás novas alterações de Confinamento, transmitidas em dias, muitos de nós estão em Pânico. Calma, Paciência e acima de tudo Auto-Confiança!

As escolas irão parar, quando a maioria dos trabalhadores Porugueses estão em Homeworking! A solução não existe, mas preparar os nossos filhos com atividades pré-definidas no dia anterior, irão permitir que muitas pessoas consigam efetivamente trabalhar. Desde logo, a separação entre fim-de-semana e dias úteis terá de ser pré-estabelecida, em nome de uma harmonia familiar e produtividade enquanto trabalhador.

Muitos negócios estão em confinamento obrigatório, e aqui relembro-me sempre do setor da restauração. É tempo de contabilizar custos, fichas técnicas e também projetar o seu negócio para o futuro. Ter como base os preços praticados pelos vizinhos, não é seguramente o meio de desenvolvimento do seu negócio.

Penso também nos setores de Turismo, que abraçados às conjunturas congelaram. Trata-se também aqui de projetar o seu negócio no futuro. Se independentemente dos apoios estatais não constituiu uma verba para o Confinamento ou outras situações adversas, a Gestão do seu negócio terá de ser reavaliada.

Acima de tudo reiventem-se! Não parem. Muitas empresas estão a conseguir obter proveitos excepcionais, porque reiventaram os seu modelo de negócio, parametrizalam-no e estão a obter resultados positivos.

Think out the Box”, sempre com o apoio da RVA Consulting!!!!

Rita Araújo

Ramo da Restauração: Um Setor com Diversos Desafios

Se não sabe como poderá Vender amanhã, e quando e como os subsidios de apoio protegerão o seu negócio, como tomar a decisão de permanecer aberto em regime de Take-Away e Delivery ou fechar as portas durante o Confinamento?

O Setor da Restauração tem sido um dos setores mais afetados com a Pandemia Covid19. Desde logo porque não sabem quando poderão trabalhar num curto espaço de tempo, toda a gestão fica em suspenso, todos os custos fixos por pagar e incentivos por receber… Por isso, um sistema mais eficaz de Gestão é imprescindível neste momento. O que lhe diz a si Capitações, Fichas técnicas, Cartas ou Ementas? Sabe realmente o preço minímo por dose a que poderá aplicar ao seu PVP?

Trata-se de uma conjuntura de análises que marcam a rentabilização e sustentabilização do seu negócio. Por isso uns optam por fechar, outros por se manterem abertos face à conjutura.

Mas esta análise terá de ser efetuada de forma eficaz e eficiente, inovadora e diversificada, para que o seu negócio prospere, independentemente da conjutura atual. Terá de refletir sobre estes temas, fornecedores, prazos de pagamento, qualidade da matéria prima, bem como adequar a sua oferta, com base em diferenciados indicadores, a um negócio rentável, para que prospere face às condições externas. Terá que adequar os seus parceiros e meios de divulgação do seu serviço e produtos.

Muitos dos nossos empresários do ramo da restauração estão vedados a esta análise. Apenas esperam sobreviver em tempos de Pandemia e Dificuldades no Setor. Fórmula Mágica? Não, não existe, mas os caminhos e experiência de outros abrem portas a um futuro próspero!

Rita Araújo

Ranking das redes sociais 2020

De acordo com a nossa análise, o número de registos e utilizadores varia consoante a fonte de dados, mas a posição geral no Ranking não! No entanto alertamos que a sua estratégia de Marketing Digital não se deve basear num Ranking, mas sim numa estratégia e planeamento baseado na “Persona”, o seu Cliente ideal e target.

Em 2020, o Facebook lidera incondicionalmente o ranking. Muito se falou no desgaste desta plataforma, mas a realidade é que continua a ter membros ativos em percentagem crescente. A maior revelação de 2020, é sem dúvida o WhatsUp, muito utilizado em conversas individuais e de grupo, mas também como ferramenta de Marketing Digital através do Business WhatsUp. O TiK Toc originalmente constituido por membros jovens, tem vindo a aumentar a média de idades, talvez devido ao seu grau de divertimento e aos níveis de confinamento que vivemos nos últimos meses. No entanto esta subida de faixa etária tem sido documentada em diversos artigos, mas ainda não conseguimos obter um número plausível!

As redes sociais dominam a nossa vida, e a cada ano, surgem novas plataformas para nos conectar ainda mais com outras pessoas. Só no último ano, conetaram-se 3.484 bilhões de usuários em todo o mundo! Provavelmente já ouviu falar do YouTube e do WhatsApp, mas será que conhece o Qzone ou o WeChat? 

Vejamos então os números , publicados, ressalvando uma vez mais, que divergem consoante a fonte:

Social Media20192020Variação
Facebook2,271 biliões2,27 biliões=
YouTube1,8 biliões1,9 biliões+
WhatsApp1,5 biliões
Facebook Messenger 1,3 biliões
WeChat 1,08 biliões
Instagram1 bilião1 biliões=
Dados biográficos:

Aplicativos como o Twitter, tão controversos em meios políticos e discussão de ideias, ficou em 12º lugar da lista com 326 milhões de utilizadores. A rede mais famosa de interação entre empresários, o Linkedin, regista o número de 303 milhões de utilizadores, ficando assim classificado em 2020 em 14º lugar.

A sua “persona” está no meio digital, mas mais do que números em massa necessita de segmentar o seu público-alvo para a encontrar, interagir e comunicar eficazmente.

Rita Araújo

Um Novo Confinamento

Todos não o desejavamos mas entendemos a sua necessidade. Vários setores serão afetados, vários empresários e trabalhadores angustiados… Tudo que desejavamos que tivesse ficado em 2020.

Não sabemos ainda as novas regras, quanto tempo durará nem tão pouco sabemos quando a humanidade estará pronta para controlar este contágio que já afetou tantas pessoas e famílias.

A somar à pandemia, muitas empresas enfretam dificuldades na exportação devido ao Brexit e nova regulamentação, provocando atrasos e dificuldades, especialmente no setor automóvel e de vestuário.

Mas há uma coisa que não pára: o Mundo Online. E também não pára de crescer. Por isso o seu negócio deverá:

  1. Ter uma forte presença digital, valorizando os valores da Marca
  2. Apostar na Diferenciação e Posicionamento
  3. Comunicar efetivamente e assertivamente
  4. Aumentar a taxa de conversão
  5. Vender mais

Aposte numa Comunicação Digital forte e efetiva, com planeamento e estratégia. Todos os setores e negócios têm que se posicionar onde estão os seus Clientes e Potenciais Clientes: Internet!

<p value="<amp-fit-text layout="fixed-height" min-font-size="6" max-font-size="72" height="80"><strong><span style="color:#4c96d7" class="has-inline-color">Mantenha-se seguro,</span></strong>Mantenha-se seguro,

Rita Araújo

A Identidade e Valor de uma Marca está-se a perder na Globalização Digital?

Após análise das comunicações em 2020, onde a Era Digital atingiu o seu “boom”, acreditamos que existem bons e maus exemplos.

Desde logo a criatividade e apelatividade num anúncio comercial, sempre foram apreciados. No entanto, o investimento em publicidade em Portugal diminuiu em termos globais em 2020, face à nova realidade. Não nos esqueçamos que investir em Ads é muito mais barato do que a publicidade dita tradicional, muito embora, os consumidores permaneçam mais horas em casa.

A publicidade em Ads quer através das redes sociais, Google ou outros tornou-se um modo apelativo e de baixo custo de Publicitar um artigo, um serviço ou uma marca. Mas nesta arena de luta, onde os digital marketeers já iniciam o seu briefing questionando-o de quanto está disposto a investir, entrou-se não na diferenciação de conteúdos orgânicos, mas sim na globalização. Hoje os consumidores são inundados por “lixo” devido a segmentações mal concebidas do público-alvo.

Por outro lado, certas marcas entram na digitalização porque é “um must”. Sem dúvida!!! Mas terá de ser sempre de acordo com a história, valores e missão da marca. Só através deste pilar institucional, é que uma marca se diferencia. Falo de marca, não de produtos.

Muitas vezes sou surpreendida pela diferença entre o atendimento presencial e a comunicação digital da marca. Em diversos setores e em diferentes áreas. A identidade de uma marca nunca deverá ser negligenciada, antes pelo contrário, valorizada e comunicada. Este é o primeiro pilar da diferenciação e não de uma comunicação em massa.

Rita Araújo

O novo Perfil de Consumidor e-digital

O ano de 2020 foi pautado pela presença massiva de empresas e negócios na era digital. Planos e Projetos que estvam na gaveta sairam e rapidamente as empresas se adequaram com meios disponíveis para atingir os seus consumidores: Internet.

Rapidamente surgiram páginas e sites em todos os setores, anúncios nas redes sociais e posts na maioria delas. Mas é isto que os Consumidores atuais procuram? É nisto que se traduz uma presença digital com investimento em conteúdo orgânico e Ads?

Apenas através de uma Estratégia Inbound é que a maioria dos negócios alcança e comunica com o seu público-alvo e Clientes. Apenas através de um Conhecimento profundo de perfil de Consumidor, definição de perfil de Consumidor ideal e Comunicação Customizada de acordo com o target e sua classificação no Percurso de Vendas, é que uma presença digital poderá ser optimizada. Não adianta oferecer os seus serviços ou produtos, tem de os direcionar para uma necessidade. Se não a sua presença transforma-se em lixo by bits.

Neste pressuposto, a Comunicação deverá ser bilateral, onde a marca/negócio preenche as necessidades ou expetativas dos seus Clientes ou Potenciais Clientes. E quais são essas expetativas?

  1. Diferenciação: O Cliente hoje busca por soluções únicas, que satisfaçam as suas necessidades. Não é o Cliente que se tem de adequar ao produto/serviço mas sim, o contrário.
  2. Informação: O Cliente hoje através da informação disponibilizada está bem informado, não necessita de um contato fisíco com a equipa de vendas para saber as características de um produto/serviço. Mas sim, necessita desse contato para lhe transmitir as mais-valias e benefícios na sua aquisição.
  3. Segmentação: As mensagens e comunicação deverá ser personalizada de acordo com o meu público-alvo. Por exemplo é muito diferente uma mensagem de comunicação de venda de um automóvel para um homem e para uma mulher, pois tendencialmente cada género valoriza benefícios específicos.
  4. Rapidez e Proximidade: A informação e Oportunidades hoje, navegam por Internet, a uma velocidade rápida. Se a sua resposta não é eficaz, assertiva e rápida, os novos Consumidores irão buscá-la noutra fonte.
  5. Facilidade: Aqui as App deram um salto significativo e promissor, integrando rapidamente o Cliente com o produto/Serviço. A busca de informação de uma forma clara e simples é valorizada e reconhecida, quer seja através de um site ou de um contato telefónico. Assertividade mais uma vez é um ponto fulcral.
  6. Transparência: O e-consumer está bem informado. Estabeleça uma relação transparente e de confiança.

Não basta apostar em Comunicação online e ficar surpreso com os resultados obtidos, quer seja positivamente ou negativamente. Aposte numa Estratégia e Planeamento de Comunicação, com métricas e objetivos bem definidos!!!

Rita Araújo

Empreendedores, o Dilema do Crescimento

Criou um negócio, um serviço, uma ideia que acaba por ser aceite. No entanto, tal como todas as empresas no seu início, somos os Diretores Financeiros, de Logística, de Marketing e RH, concebemos e promovemos o produto, somos os empregados de limpeza, o correio, os estafetas… Até que o volume de negócio aumenta e algo fica para trás!

É aqui, neste ponto de viragem que muitos negócios se deparam com a questão de o volume de negócio ainda não ser suficiente para contratar, mesmo com os apoios do IEFP, mas também outras áreas outrora que impulsionam o negócio são esquecidas, tal como a comunicação com os Clientes e angariação de novas leads.

Chega então o momento de se focar na sua especialidade: Criador? Promotor? Vendedor? Distribuidor?, qual é realmente o seu ponto forte? E de delegar através de meios especializados a análise e estratégia do seu negócio, de forma a que a expansão não se torne num monte de encargos, mas sim, no breakdriven que fortalece o seu negócio e que o apoia neste momento de poucas horas de sono. Um investimento de retorno, acompanhado pelos melhores profissionais.

Não deixe de nos consultar, estamos a seu lado para que o seu negócio floresça e se tiver que crescer, cresceremos juntos!

Rita Araújo