A Importância do e-commerce no B2B

Tem um negócio que depende de grandes players em stores económicos fulcrais? Então este artigo responderá a muitas questões.

O perfil de consumidor mudou. Quer falemos do consumidor final, quer dos setores intermediários. Hoje busca-se rapidez, comodidade, bom preço e eficiência e qualidade de serviço. Daí a necessidade urgente dos players de mercado, indústrias e serviços agregados a grandes players, onde dispôem de uma oferta simples, rápida, cómoda e de qualidade.

Fala-se hoje muito de digitalização e presença online. Se ainda pensa que pode adiar, engane-se. Imaginemos um restaurante, que de repente lhe falta um artigo, a sua reação será de ir percorrer kms até à loja mais próxima, desperdiçando tempo e dinheiro, ou simplesmente, abrir um dispositivo móvel e adquirir o produto que lhe será entregue num curto espaço de tempo? Aqui o empresário poupou dinheiro em combustível, tempo útil onde está a executar tarefas mais importantes no seu negócio, beneficiou de comodidade e eficiência.

Uma oficina, necessita de uma peça automóvel, para reparação de um veículo. Ao invés de telefonar para diversos operadores em busca dessa peça, apenas tem de introduzir a referência e saber quais os players que detém essa peça, preço e condições de entrega. O tempo de entrega dessa peça, poderá até ser definida pela até pela própria oficina, não atrasando assim o serviço ao seu consumidor final. Tudo em tempo útil, à distância de um click, de um dispositivo móvel.

Estes dois exemplos extremos, fazem hoje parte da nossa realidade. A perfeita catalogação de produtos e respetiva descrição são um must na comunicação global dos nossos dias. Não adianta adiar mais, pois apenas estará a perder oportunidades de negócio.

E como fazê-lo? Desde logo pela criação de um site próprio, bem como sua divulgação nos canais adequados. Passará por toda uma oferta digital, que no limite lhe permitirá até, ofertar concursos abertos ou aquisições diretas, concretizadas num curto espaço temporal.

Fale conosco sobre as soluções que teremos personalizadas ao seu negócio. Porque do seu sucesso, depende o nosso!!!

Rita Araújo

Leituras de Verão: Mas afinal, o que é que o uso de máscara condiciona a nossa actividade?

Todos nos habituamos a sair de casa, com as chaves, o laptop e a máscara. A máscara que tanto calor nos faz, infeções que surgem pelo seu uso prolongado, mas que são consequências geradas pelo um mal menor…. O COVID19.

Mesmo antes da DGS ter anunciado a obrigatoriedade de uso de máscaras em espaço público, eu já o fazia, embora criticada… A máscara é uma espécie de escudo, em que nos sentimos mais seguros e confiantes para ultrapassar o espaço delimitado pelo nosso lar.

Mas a máscara esconde um sorriso? Não de forma alguma! Sinto-o sempre que cumprimento uma pessoa ou me despeço, não fica escondido. Da mesma forma que numa chamada telefónica sem ver o interlocutor conseguimos identificar que ele está a sorrir, através de uma máscara muito mais, se sente esse sentimento.

A máscara e a imposição de 2 metros de segurança afeta o nosso dia-a-dia? Sim incondicionalmente… Somos Portugueses, gostamos de abraçar, de tocar, de beijar.. Mesmo nas situações de trabalho, gostamos de cumprimentar as pessoas, mostrar que estamos sem barreiras, para um acordo comercial ou encontro de equipas, somos portugueses, o afeto e tacto acompanha-nos.

Mas mesmo através de uma máscara, um cumprimento de cotovelos ou pés, não deixe de sorrir, de expressar as suas emoções, porque o interlocutor as sente e não são barradas por uma máscara. As suas emoções não são tapadas por um tecido que se enrola nas orelhas!!

A máscara apenas nos causa desconforto. Não afeta a nossa comunicação! Use-a, proteja-se e disfrute das suas férias com aqueles que mais ama, e trabalhe com a mesma paixão que o carateriza. Porque este adorno, deixa a descoberto tudo aquilo que sentimos. Não são os olhos o nosso espelho de alma???

Rita Araújo

Desafio Lançado??

Nesta época de habituais férias convido-vos a um desafio…

Tenho 2 filhos, resido em Lisboa e o meu percurso é citadino, embora necessite de espaço de bagageira para mochilas e atividades desportivas, bem como para fim-de-semanas prolongados e escapadinhas em Portugal.

O meu budget? Não poderei superar um crédito superior a 200€ e não sei se amanhã terei emprego… Com dois filhos!!

Quem me convence a trocar o meu veículo atual?

Podem-me contatar pelo e-mail rita.araujo@rvaconsulting.pt. Não deixo o meu telemóvel, tal como a maioria das vossas leads, uma vez que ainda me encontro em fase de pesquisa, não sendo fiel a nenhuma marca.

Mais pistas não posso deixar, mas responderei a todas as questões. Pronto para o desafio?

O repto está lançado!! Mas atenção, obterá um coaching privado, sem nenhum custo, mas não se trata de uma venda real… Não descure os seus verdadeiros Clientes!!!

Umas boas e merecidas férias a todos,

Rita Araújo

Normas COVID19: Auditoria

Durante a primeira fase de desconfinamento, vários espaços comerciais tiveram autorização para reabrir sob apertadas regras de segurança: entre elas conta-se a obrigatoriedade do uso de máscaras ou viseiras, para além da manutenção do devido distanciamento social e limitações à lotação dos espaços. O Ministério da Administração Interna informa, em comunicado, que foram encerrados 262 estabelecimentos e suspensas 51 actividades por incumprimento das normas definidas.

In Jornal Público, PÚBLICO 
15 de Maio de 2020, 17:49

Elaboramos uma auditoria específica de acordo com as suas necessidades, para ajudá-lo a monotorizar os requisitos exigidos. Esta monotorização pode ser feita simplesmente através do seu dispositivo móvel. Explicamos como se desenrola a auditoria e deixe nas nossas mãos apresentar-lhe uma solução chave-na-mão.

Observação

Através de uma equipa de auditores formados, o seu espaço será avaliado nos diferentes pontos de conformidade com a legislação em vigor. O relatório ficará disponível “just in time”.

Focus

Automaticamente são emitidos alertas através da nossa plataforma através um Plano de Ação das medidas a corrigir e implementar em determinado periodo de tempo.

Ação

Após a correção dos eventuais desvios e inserção no sistema da informação das medidas corretivas, o responsável encerra o Alerta.

Não tem a certeza do que necessita e a que custo este serviço é disponibilizado? Vai-se surpreender!!!!

Em Julho, Portugal teve a maior queda percentual de toda a Europa, no número de registos de novas matrículas no setor de ligeiros

Em Portugal, o sector automóvel representa  19% do PIB, 25% do total das exportações de bens transacionáveis, 3,5% do emprego e 21% das receitas fiscais.

In ACAP, 16 Julho 2020

Não deixam de ser números preocupantes, refletidos em percentagens. Em Julho de 2020, o setor automóvel sofreu uma queda de 16,9% face ao período homólogo do mês anterior. Em acumulado, representa o mês de Julho uma quebra homóloga de 44,3%.

Este tem sido um dos setores mais afetados pelo COVID19. Desde logo, pelas últimas notícias da diminuição de Confiança dos Consumidores, pelas altas taxas de layoff que ainda representa e pela inércia de incentivos governamentais.

Todas as marcas têm apostado nos seus recursos, em planos de negócios estruturados e adaptados às novas exigencias de mercado. Mas a questão continua a surgir: Quando é que o Governo intervirá nas medidas de apoio já propostas pelo setor?

Boas férias a todos, fiquem bem e em segurança,

Rita Araújo

A Saturação em nome da Era Digital

Deveria existir uma “Junk Box” para cada um dos utilizadores das redes sociais. Estamos cada vez mais a ser inundados com conteúdos sem interesse, promoção pessoal e descontextualizada. Inúmeramos alguns conteúdos irritáveis, num artigo de férias e com boa disposição.

Se cada operador de caixa editasse as vendas que registou, conseguiriamos ver o despropositado que se torna, cada vez que um Consultor Comercial efetua uma venda. O que pretende com esse anúncio? Transmitir segurança, ser um case study? Mas não se tem tempo para a publicar, é porque não efetua vendas suficientes…. Parece mais um aleluia, consegui!

Se o título de um artigo já promove a sua contextualização, porque então no campo de comentários, se faz um simples “copy paste” do título? O campo “comentários” serve para editar a sua opinião, ou anexar hashtags. Porquê a duplicação?

As minhas memórias…. Assistimos a um role de memórias de férias de há 1 ano, 2 anos, 3 anos…… As minhas memórias servem não para desgastar os amigos, mas sim para reviver eventos comuns a todos, como datas de celebração comum. Serve para nos lembrarmos de quem já aqui não está conosco, nessa data, nesse momento especial, e ouvirmos o consolo dos amigos virtuais. Serve para muita coisa, mas não para publicar um albúm de família!

Continuamos sem perceber as publicações de “pratos do dia”. Pretende-se publicitar o restaurante, publicitar o estilo de vida, ou simplesmente demonstrarmos que somos uns glutões? As recomendações entre amigos funcionam muito bem, quando vamos a um sítio que nos encantou. Mas pf, não queremos saber do menú doméstico de cada um!!!

Debrucemo-nos agora sobre “o lixo virtual”. Masterclass, Maratonas, e-books gratuítos, tudo em nome de promover conteúdo útil. A nossa conta virou um “spam” de informações, em nome da publicação de conteúdo, promovido pelas técnicas Inbound. Os e-mails enviados saturam a “Inbox”, apenas porque pretendiamos obter determinada e específica informação. Depois de não respondermos à primeira, à segunda, à terceira…..Não viramos uma lead fria???

Em nome de Portugal e da Covid19!!! São promovidos conteúdos radicalistas, sem contextualização, incentivando o sentimento de ódio e revolta. Para quê? Cada um de nós tem acesso à informação e não necessita de comentadores caseiros para expressarem estes sentimentos. Preferimos ouvir comentadores especialistas daquilo que falam, do que ouvir um discurso populista e ambíguo, de quem não tem sequer formação para o proferir. E esses comentadores especialistas sim, queremos “bloguear” com eles e expor as nossas questões.

Marketing Digital- a solução para a sua empresa! Anúncios com um design gráfico desprezível, com um texto sem fim, que segurança dá ao Cliente? É isto que quero para a minha empresa? Socorro!!!

Muitos mais exemplos poderiam ser inumerados. Partilhe conosco a sua experiência!!! Esperemos que se reviva com o artigo publicado, de uma forma divertida e que a RVA Consulting não se reviva num destes pontos que irá enumerar. Boas férias!

Rita Araújo

O Regresso esperado dos aficionados de F1 ao GP de Portugal

Foram 24 anos sem disputa de provas para o campeonato de F1 em Portugal, mas este ano, 2020 poderá ser o início do fim de um ciclo.

O primeiro grande prémio de F1 disputado em Portugal foi em 14 de Agosto de 1958, no Circuito Urbano da Boavista.

Após a temporada de 1960, a F1 esteve afastada dos circuitos Portugueses, voltando em 21 Outubro de 1984 ao Circuito do Estoril. Assistimos a grandes pilotos como Ayrton Senna e Alan Prost a vencerem e a disputarem o Campeonato Mundial.

Em 22 de Setembro de 1996, a última corrida em solo português foi marcada pela vitória de Jacques Villeneuve, com domínio completo da equipa Williams. Em 1997, as melhorias exigidas para o Circuito do Estoril não ficaram prontas a tempo, pelo que a F1 se afastou de Portugal.

Agora em 2020, iremos receber uma prova do campeonato de Portugal, não no Estoril, mas no circuito de Portimão onde ocorrem diversas provas mundiais de diferentes modalidades. Teremos oportunidade de demonstrar o que melhor sabemos fazer em Portugal: Ser uns excelentes anfitriões! Teremos oportunidade que este evento conste na calendarização das provas mundiais de F1.

Numa altura em que o Turismo português atravessa uma das crises mais profundas, poderemos arrecadar com este evento, aberto apenas a cerca de 5.000 espetadores, 30 a 130 milhões de euros, sem contar o prestígio nacional.

Força Portugal, iremos demonstrar aquilo que tão bem sabemos fazer e que a calendarização do GP F1 em Portugal faça parte da calendarização de provas no futuro!!

Rita Araújo

Curiosidades do Mundo Automóvel

A longa história deste setor, leva-nos à descoberta de inúmeras curiosidades e factos interessantes, desconhecidos por muitos amantes deste setor. Hoje apresentaremos apenas 10, de uma lista interminável.

  • Como todos sabem, foi Adolph Hitler quem implantou a fabricação do “carro do povo”, o conhecido VW Carocha. Mas o que poucos sabem é que o modelo, ironicamente, foi baseado no conceito de design produzido por um judeu, Josef Ganz.

  • Os primeiros carros construídos, eram guiados por alavancas, ao que chamariamos hoje de “joy stick”. Somente em 1894, o francês Alfred Vacheron. implementou no seu carro Panhard et Lavassor o protótipo de um volante. Esse volante foi aproveitado pela marca construtora e quatro anos depois todos os modelos eram já fabricados com volante.

  • O primeiro carro movido a gasolina foi fabricado pela Ford em 1893, com um custo mais baixo no mercado. Entre 1908 e 1927 venderam-se mais de 15 milhões de unidades, todos de cor preta! A explicação dada pela Ford foi que os pigmentos pretos eram mais baratos e secavam mais rápido, diminuindo assim o custo final do carro.

  • O logótipo da Audi representa a fusão de 4 marcas de fabricantes mais antigas da Alemanha, que decidiram juntar-se em 1932: Horch, DKW, Audi e Wanderer, dando origem à Auto Union, que fabricou modelos de competição, altamente tecnológicos para a época. Após a Segunda Grande Guerra, três das marcas associadas extinguiram-se e a Audi conservou o seu logótipo até aos dias de hoje.

  • A Volvo mudou a sua identidade em torno da segurança, uma vez que inventou um dos dispositivos de segurança mais importantes (Eng. Nils Bohlin): o cinto de segurança de três pontos. Consiste na combinação de um cinto diagnonal, com outro horizontal, que forma um “V” e se prende a um ponto de fixação baixo, disposto na lateral do banco. A Volvo disponibilizou gratuitamente este sispositivo a todos os fabricantes de automóveis, com o intuíto de primar universalmente pela segurança, independentemente da marca do automóvel dos ocupantes.

  • A matrícula de um veículo, mais cara do mundo é composta apenas pelo dígito “1”. Foi vendida num leilão especial nos Emirados Árabes Unidos, em 16 Fevereiro de 2008, a Saeed Abdul Ghaffar Khouri, por cerca de 14,2 milhões de dólares.

  • O carro mais vendido no mundo é o Toyota Corolla com cerca de 40 milhões de unidades vendidas , contemplando todos os seus diferentes modelos e versões.

  • Quem foi fabricado primeiro: a moto ou o carro? Em termos de veículo motorizado, a moto é provavelmente mais antiga, pois resultou na tentativa de colocar um motor numa bicicleta, como foi o exemplo da Michaux-Perreaux, de 1867. No entanto, em termos de motor de combustão, a moto surge mais tarde, tendo aparecido apenas em 1894 com o modelo Hildebrand & Wolfmüller.

  • Em Outubro de 1946, o primeiro Grande Salão de Paris dá a conhecer ao mundo o famoso 4cv da Renault, mas tinha sido um projeto anteriormente vetado pela Renault. Durante a II Guerra Mundial, com as fábricas obrigadas a dedicarem-se ao fabrico de material militar, Fernand Picard e Edmond Serre planeiam em segredo um automóvel compacto de cariz familiar, ocultando o plano de tal forma que nem o próprio patrão, Louis Renault, tinha ainda conhecimento do projecto, então designado 106. Assim que toma conhecimento não se opõe à ideia e em setembro de 1943 o projeto é ensaiado pela primeira vez, mas é vetado pela Renault, continuando assim o projeto defendido pelos seus autores a ser desenvolvido clandestinamente. Só após a nacionalização da empresa, após a segunda guerra mundial é que a chegada de um novo presidente, Pierre Lefaucheux, faz com que a Renault aposte no projeto, tornando-o num caso de sucesso.

  • O termo cavalos de potência foi inventado pelo engenheiro escocês James Watt, que viveu entre 1736-1819, sendo famoso por seu trabalho em melhorar o desempenho dos motores a vapor. Seu nome também batizou a unidade watts de potência do Sistema Internacional como uma homenagem décadas após o seu falecimento. Em 1781 Watt concebeu uma máquina a vapor com o rigor de construção para ser comercializada e útil. No entanto ele necessitava de comunicar as vantagens da sua máquina, compreensível para muitos apenas com a força de um cavalo, utilizada para todo o tipo de trabalhos. Com base nas suas pesquisas, de força de tração de um cavalo, Watt estabeleceu que um cavalo-vapor equivaleria a 33 000 libras-pés por minuto.

Rita Araújo